Olá! Meu nome é Carolina Piovesan mas podem me chamar de Carol. Sou estudante de Biomedicina, amante de literatura e dona de uma loja online no Twitter (@ineedushop) de produtos fanmade kpop.

28/01/2016

Cidade de Vidro, Cassandra Clare - Os Instrumentos Mortais #3



Saudações Shadowhunters!

Cidade de Vidro da Cassandra Clare é o terceiro livro da série Os Instrumentos Mortais (6 livros ao todo) que por sua vez compõe As Crônicas dos Caçadores de Sombras, um universo gigantesco composto de diversos livros. Adianto que esta resenha terá spoilers para quem ainda não leu o livro anterior: Cidade das Cinzas (#).




Título: Cidade de Vidro
Série: Os Instrumentos Mortais Livro: 3
Autor: Cassandra Clare
Formato: Ebook
Editora: Galera Record
Páginas: 476
Ano: 2009
Nota: 5/5

Clary está à procura de uma poção para salvar a vida de sua mãe. Para isso, ela deve viajar até a Cidade de Vidro, lar ancestral dos Caçadores de Sombras, criando um portal sozinha. Só mais uma prova de que seus poderes estão mais sofisticados a cada dia. Para Clary, o perigo que isso representa é tão ou menos assustador quanto o fato de que Jace não a quer por perto. Mas nem o fora de Jace nem estar quebrando as regras irão afastá-la de seu objetivo: encontrar Ragnor Fell, o feiticeiro que pode ajudá-la a curar a mãe.


Leia também:
Os Instrumentos Mortais #1 Cidade dos Ossos
Os Instrumentos Mortais #2 Cidade das Cinzas

Assim que terminei Cidade das Cinzas comecei esse (ainda na madrugada, era tipo umas 3:20) e não me arrependi, posso dizer que este foi o melhor livro até agora. Não sei se vocês sabiam, mas Os Instrumentos Mortais era para ser uma trilogia a princípio porém como é muito comum, devido ao sucesso e outros fatores externos os autores sempre dão um jeito de “esticar” o enredo inicial, o grande problema é isso realmente dar certo. 

Já sabendo desse fato, fiquei com um pé atrás no que poderia ter sido feito no fim deste livro para que pudesse dar origem a outras continuações, o medo era grande, mas isso é história para outro post.

Clary, no fim do segundo livro deparou-se com uma grande oportunidade de salvar sua mãe, Jocelyn que estava em uma espécie de como mágico desde que o primeiro livro. Está oportunidade seria ir para Idris (o país dos Caçadores de Sombras) e encontrar a solução com um feiticeiro para salvar sua mãe. Até aí tudo bem, nada mais comum do que um filho quere salvar a mãe não é mesmo? Mas como sempre existem empecilhos lá vai esse: Jace.

Depois de todos os acontecimentos já passados, Jace quer distância de Clary (para conter o amor proibido e etc). Jace, Izzy e Alec iriam para Idris também porém o plano (somente de Jace) era deixar Clary para trás. Eu não achei tanta maldade assim uma vez que no fundo ele queria proteger ela de todas as coisas que a Clave poderia fazer com ela, já que ela tem o poder de “criar” Marcas (marcas, desenhos que dão poderes especiais aos caçadores de sombras, quando em contato com a pele). Eles poderiam usa-la como um arma contra Valentim (seu pai) num futuro próximo, isso sim era o que Jace realmente temia. Durante um ataque demoníaco ao Instituto, Bane é forçado a abrir um portal às pressas para Idris e Jace, Izzy, Alec e Simon – agora um vampiro – embarcarem para Idris.

Mas como toda personagem teimosa e determinada Clary arruma um jeito de ir atrás de ajuda para sua mãe. Neste livro também foram apresentados personagens novos como Alice e Sebastian, ambos caçadores de sombras. Aline tem uma “quedinha” por Jace (o que me irritou muito) e Sebastian é um cara suspeito que vive em conflito discreto com Jace. Ambos se odeiam praticamente. 

Ah, finalmente Jace e Clary abrem mão do destino e se entregam em seus sentimentos profundos! Isso foi lindo demais gente <3 Meu coração ficou em pedaços quando confusões ocorreram estragando o clima entre os dois.

Cidade de Vidro com certeza foi o melhor livro da série até agora, recheado de acontecimentos totalmente levados por impulsos eloquentes dos personagens além de, emoções provocadas a nós leitores totalmente involuntárias (me vi chorando e rindo em diversos momentos).

Voltando ao assunto no início do post, tudo poderia ter sido muito bem terminado neste livro. Sabe quando temos a sensação de não haver pontas soltas no enredo? Se não fosse pelo Epílogo e um pequeno momento no final, eu poderia ter dito que um continuação seria desnecessária. Não estou tão curiosa para o que vai acontecer, mas mesmo assim vou continuar lendo a série.


Desculpem pela falta de quotes, quando eu leio no kindle ou pelo celular, raramente lembro de destacar eles...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê sua opinião e ajude o Baú!

Total de visualizações de página

Leitores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *