Olá! Meu nome é Carolina Piovesan mas podem me chamar de Carol. Sou estudante de Biomedicina, amante de literatura e dona de uma loja online no Twitter (@ineedushop) de produtos fanmade kpop.

24/01/2015

[Resenha] - Legend: A Verdade se Tornará Lenda, Marie Lu

Saudações õ/

Desde assisti um vídeo da Lívia do Wishing a Book falando sobre este livro, fiquei curiosa. Acontece que posterguei a leitura por muitos meses até que enfim, comprei meu Kindle PaperWhite e para estreá-lo queria algo que imaginava ser especial. Legend não me decepcionou.



Titulo: Legend
Série: Legend #1
Autor: Marie Lu
Formato: E-book
Editora: Prumo
Páginas: 256
Ano: 2012
Nota: 5/5 
" A Verdade Se Tornará Lenda – Ambientado na cidade de Los Angeles em 2130 D.C., na atual República da América, conta a história de um rapaz – o criminoso mais procurado do país – e de uma jovem – a pupila mais promissora da República –, cujos caminhos se cruzam quando o irmão desta é assassinado e a ela cabe a tarefa de capturar o responsável pelo crime. No entanto, a verdade que os dois desvendarão se tornará uma lenda. O que outrora foi o oeste dos Estados Unidos é agora o lar da República, uma nação eternamente em guerra com seus vizinhos. Nascida em uma família de elite em um dos mais ricos setores da República, June é uma garota prodígio de 15 anos que está sendo preparada para o sucesso nos mais altos círculos militares da República. Nascido nas favelas, Day, de 15 anos, é o criminoso mais procurado do país; porém, suas motivações parecem não ser tão mal-intencionadas assim. De mundos diferentes, June e Day não têm motivos para se cruzarem – até o dia em que o irmão de June, Metias, é assassinado e Day se torna o principal suspeito. Preso num grande jogo de gato e rato, Day luta pela sobrevivência da sua família, enquanto June procura vingar a morte de Metias. Mas, em uma chocante reviravolta, os dois descobrem a verdade sobre o que realmente os uniu e sobre até onde seu país irá para manter seus segredos. "
       Vocês já devem estar cansados de tanto que eu mudo a forma como escrevo as resenhas, acontece que existem alguns livros que não é possível seguir um determinado padrão de escrito ou coisas do tipo. Resumindo este é mais um tipo de resenha no qual falo mais sobre minha experiência com a leitura e menos dos detalhes do livro.

       Vamos pensar em conjunto neste momento: Um vírus destruidor em massa, um governo manipulador/autoritário,  um casal separado - involuntáriamente - em duas realidades completamente diferentes, narrativa rápida e alucinante. Pegue tudo isso e misture, uma receita perfeita.

       Que o mercado está intupido de distopias isso já sabemos e para mim não é um problema já que é um dos meus gêneros favoritos. O que será que faz com que o livro de Marie Lu sejá diferente dos outros? Quase tudo.

       O que mais acho bacana nos livros é quando temos mais de um ponto de vista dos acontecimentos. June - a garota super hiper mega power ninja - e Day - o criminoso super hiper mega power ninja - são nossos olhos. É uma sensação tão gostosa quando nos sentimos conhecedores de todos os detalhes, das ações que acarretam o tão esperado encontro dos dois. Ahh como é bom.

       Day  é um garoto que vive para fazer o bem para os necessitados (um Robin Hood da atualidade) e principalmente para sua família que tragicamente é tida como afetada pela praga devastadora que assola a República e seus setores. A única cura são os remédios e como Lake é um dos setores mais pobres e a República em si não se importa muito com a saúde e muito menos o bem estar da população de lá. Furtos é a solução até que um dia a situação foje do planejado.

"As flores são uma prova para mim mesmo de que continuo vivo, e sempre tomando conta da minha família" - Day
       June é a garota prodígio, a menina de ouro da República a única que conseguiu tirar nota máxima na Prova (o Enem só que do ano 2130) que é o exame que separa as crianças quer merecem ser alguém na vida das que devem sobreviver nas favelas. Ela é simplesmente brilhante e o mais importante de tudo curiosa. Sua única família é Metias irmão mais velho  que logo é morto durante uma fatalidade envolvendo hospital e o garoto mais procurado de toda a República.

"As ações de Day costumavam me fascinar, mas agora ele é meu inimigo, meu alvo, minha primiera missão" - June

       A forma com que Marie Lu expôs o enredo é tão fascinante que me fiz sentir diversas emoções ao longo da leitura, isso é uma coisa que eu prezo muito numa leitura. Os momentos de ação e até os momentos mais descritivos se encaixam de uma forma com que nada parece forçado, os pontos de vista dos dois personagens se completam sem ter aquela coisa de repetição dos fatos. Brilliant!


       Com toda a certeza este livro me cativou e arrisco a dizer que é tão bom quando Jogos Vorazes chegando em alguns momentos ser melhor #MeJulguemEuDeixo. Estou tão ansiosa para ler Prodigy que nem me aguento. Vocês precisam conhecer este livro! Uma pena ser tão curtinho.

Aí vai aquele quote com uma pontinha de realidade:

"Estamos fazendo a coisa certa ao seguir as ordens que nos dão? Será verdade que a República é que está certa?" - June



Abraços,
Carolina Piovesan

2 comentários:

  1. Quero muito ler essa triologia, amo distopias e, agora fiquei curiosa, melhor que Jogos Vorazes?! Será? Quando eu ler os livros volto aqui para te dizer o que achei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou descobrindo que distopia é meu gênero favorito! Vai ter muitas resenhas do gênero ;)
      Simm, em alguns aspectos é melhor que Jogos Vorazes. Leia e me conte!

      Beijos

      Excluir

Dê sua opinião e ajude o Baú!

Total de visualizações de página

Leitores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *