Olá! Meu nome é Carolina Piovesan mas podem me chamar de Carol. Sou estudante de Biomedicina, amante de literatura e dona de uma loja online no Twitter (@ineedushop) de produtos fanmade kpop.

11/12/2014

[Resenha] - Vermelho Como O Sangue, Trilogia da Branca de Neve #1 - Salla Simukka

Saudações leitores!!!
Estou de férias! Passei no curso de T.I. e no colégio haha #vemnimim3ano #vemnimim2modulo

     Já vou adiantando que estamos com projetos novos em parceria com o outro blog (Portal dos Culturosos), em breve novidades! Hoje vou comentar um pouquinho com vocês sobre o primeiro livro da Trilogia da Branca de Neve, Vermelho Como O Sangue da autora finlandesa Salla Simukka.

Gênero: Ficção finlandesa
Editora: Grupo Editorial Novo Conceito
Autora: Salla Simukka
Páginas: 239
Classificação: 1.5/5
Cortesia cedida para resenha pelo Grupo Editorial Novo Conceito
Sinopse:
"No congelante inverno do Ártico, Lumikki Andersson encontra uma incrível quantidade de notas manchadas de vermelho, ainda úmidas, penduradas para secar no laboratório de fotografia da escola. Cédulas respingadas de sangue. Aos 17 anos, Lumikki vive sozinha, longe de seus pais e do passado que deixou para trás. Em uma conceituada escola de arte, ela se concentra nos estudos, alheia aos flashes, à fofoca e às festinhas dominadas pelos garotos e garotas perfeitos. Depois que se envolve sem querer no caso das cédulas sujas de sangue, Lumikki é arrastada por um turbilhão de eventos. Eventos que se mostram cada vez mais ameaçadores quando as provas apontam para policiais corruptos e para um traficante perigoso, conhecido pela brutalidade com que conduz os seus negócios. Lumikki perde o controle sobre o mundo em que vive e descobre que esteve cega diante das forças que a puxavam para o fundo. Ela descobre também que o tempo está se esgotando. Quando o sangue mancha a neve, talvez seja tarde demais para salvar seus amigos. Ou a si mesma." - Skoob.


     Sabe aqueles livros que te intretem e só isso? Esse foi o sentimento que fiquei quando fechei o livro pela última vez. A estória é bacana, é ambientada num lugar em que eu nunca "estive", cheio de notas em russo - dá até para aprender algumas palavras do dia a dia deles -. Senti que a autora quiz criar uma trama policial misteriosa ou até mesmo uma analogia sobre a Branca de Neve mas não. Se ela tentou, não conseguiu.

     Lumikki é uma garota de 17 anos que já mora sozinha, uma garota atleta, criativa mas que ao mesmo tempo gosta de se isolar e ser isolada. Frequenta uma escola cara cheia de pessoas metidas que só pensam em festas e futilidades. Até aí nada de diferente das protagonistas tão comuns no mercado editorial destes ultimos meses.

     Por uma força do destino a garota encontra pendurado na sala de fotografia do colégio centenas de notas ($) altissímas penduradas secando junto ao cheiro insuportavel de ferro (sangue). Esse é o pontapé inicial para o desenrolar da trama. Junto com 3 de seus colegas (que estão envolvidos de forma muito mais estranha do que se aparenta) Lumikki vai em uma busca a lá Holmesiana (fail) para tentar resolver o crime organizado de alto escalão das redondezas.
    
     Tenho dois pontos para resaltar, primeiro que me senti totalmente enganada. Comecei a ler com a ideia de que encontraria uma releitura do conto de fadas da Branca de Neve - assim como foi em O Lado Mais Sombrio, com ressalvas que esse deu super certo - a única coisa que a autora nos revela são: O significado do nome da protagonista que seria o mesmo da princesa, alguns flashs de memória, encenações e o clima da região. Nada mais. 

     Outro ponto é a questão da "Trilogia da Branca de Neve". O livro tem 239 páginas, começo, meio e fim e autora por obra de alguém, sentiu a necessidade de ter duas continuações. Tudo bem que ficaram algumas perguntas em aberto mas nada que seja OH MY GOD. Fiquem tranquilos, vocês podem dormir sem crises.

     Acho que acontece isso com todo mundo. Se você apostar muito em qualquer coisa ela de uma forma ou de outra irá te decepcionar. 

     Vocês devem-se estar perguntando se não teve nada de construtivo na leitura, eu respondo que sim, teve mas nada que realmente salve o livro. Com execção deste quote bem no finalzinho (exatas 6 folhas do fim):

"(...) Você não é essas palavras. Você não é os gritos e os xingamentos. Você não é as coisas horríveis cuspidas em você como um chiclete sem gosto. Você não é os socos ou os ferimentos que elas causam. Você não é o sangue escorrendo do seu nariz. Você não está sob o controle delas. Você não é delas.     Dentro de você, há sempre uma parte sua que ninguém pode tocar. Você é você. Você é sua e dentro de você está o universo. Você pode ser o que quiser. Você pode ser qualquer pessoa.       Não tenha medo. Você não precisa mais ter medo. (...)"

     Vermelho Como O Sangue é o tipo de leitura atrativa para leitores que queiram apenas passar o tempo sem se preocupar em raciocínar mais do que o normal. Não pretendo ler os próximos volumes a não ser que as criticas sejam extremamente altas, pois mais uma decepção não quero.

O que ouvi escrevendo este post:
- About a Girl, Nirvana (minha banda favorita de todos os tempos)

Um comentário:

  1. Desde que vi a capa e a sinopse, o livro não me chamou a atenção, agora, após ler sua resenha é que tenho mais certeza que não quero lê-lo rsrsrs.

    ResponderExcluir

Dê sua opinião e ajude o Baú!

Total de visualizações de página

Leitores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *