Últimas Notícias:

[Resenha] - A Menina Mais Fria de Coldtown, Holly Black


Olá, leitores!

     Sábado e dia do que? Dia de resenha! Trago para vocês minha opinião sobre o livro: A Menina Mais Fria de Coldtown escrito pela autora Holly Black e cedido de cortesia para resenha pelo Grupo Editorial Novo Conceito.

Gênero: Ficção norte-americana
Editora: Novo Conceito - A
utora: Holly Black
Páginas: 384
Classificação: 5/5 

Cortesia cedida para resenha pela editora Novo Conceito

"No mundo de Tana existem cidades rodeadas por muros são as Coldtowns. Nelas, monstros que vivem no isolamento e seres humanos ocupam o mesmo espaço, em um decadente e sangrento embate entre predadores e presas. Depois que você ultrapassa os portões de uma Coldtown, nunca mais consegue sair. Em uma manhã, depois de uma festa banal, Tana acorda rodeada por cadáveres. Os outros sobreviventes do massacre são o seu insuportavelmente doce ex-namorado que foi infectado e que, portanto, representa uma ameaça e um rapaz misterioso que carrega um segredo terrível. Atormentada e determinada, Tana entra em uma corrida contra o relógio para salvar o seu pequeno grupo com o único recurso que ela conhece: atravessando o coração perverso e luxuoso da própria Coldtown. A Menina Mais Fria de Coldtown, da aclamada Holly Black, é uma história única sobre fúria e vingança, culpa e horror, amor e ódio." - Skoob


Por que este livro?

     Quando recebi esse livro da Novo Conceito mês passado não dava a mínima para ele. Claro que eu tinha visto o burburinho sobre ele na blogsfera literária e até mesmo o marketing que a própria editora estava fazendo mas quando vi comentários sobre se tratar de vampiros, começou o preconceito.

     Não que eu não goste de vampiros, na verdade eu sou completamente fascinada por estes seres da noite, mas sabe quando você já está cansada de estórias iguais? Clichês? Por isso não queria lê-lo. Foi então que terminei a leitura frustrada de Moby Dick (resenha) e necessitava urgentemente de algo leve e bobo para descontrair, mas uma coisa eu digo de boba esse livro não tem nada.



Enredo
     Depois que uma epidemia conhecida como Resfriado alastrou-se pelo mundo, os humanos tiveram de acostumar-se com seres pálidos e sem vida vagando pela cidade e sugando o licor da vida de todos que cruzassem seus caminhos, esses seres são os vampiros.

     Com essa espécie de “vírus” espalhando-se por todos os lugares, o governo resolveu construir as chamadas Coldtown – locais onde pessoas infectadas, vampiros e até mesmo pessoas que nutrem o desejo mórbido da vida eterna, podem morar sem correr o risco de infectar toda a população – nas principais cidades onde os números de ataques dessas feras eram maiores. Porém uma vez estando no lugar jamais sairia de lá, era uma prisão eterna.

     Tana, é uma garota de dezessete anos que está cursando o “Ensino Médio” de sua cidade Springfield. Vocês pensam que ela tem uma vida normal com pai, mãe, irmãos, uma vida feliz. Não ela não tem grande parte disso. Quando tinha sete anos a menina fora atacada por uma vampira o que resultou-a em uma grande e profunda em seu braço, mas não era qualquer vampira era sua própria mãe – que contraíra o “Resfriado” durante um dia de trabalho –. Isso mexeu com o psicológico dela durante toda sua infância e adolescência, mesmo sendo muito orgulhosa ou tendo vergonha de admitir, ela sentia a falta da mãe e de algum forma sentia-se culpada por tudo o que ocorrera desde a infecção de sua mãe.

     Logo nas primeiras páginas somos inseridos em uma cena que com toda a certeza do mundo me ganhou de cara! Tana encontra-se largada em uma banheira na casa de fazenda onde na noite anterior havia “rolado” uma festa. Não se lembrando de quase nada, apenas de que estava muito bêbada, decide investigar os estragos da noitada. Estranhando todo o silêncio da casa, obviamente há algo errado, e ela nota isso logo que chega a sala principal. Mortos, todos seus colegas estavam mortos, pálidos e com pequenas fissuras em seus pescoços, braços e pernas.


     Havia acontecido um ataque de vampiros na casa e incrivelmente ela escapou – provavelmente involuntariamente, já que desmaiara na banheira de tão bêbada –. Em choque ela vai em direção aos outros cômodos verificar na esperança de mais alguém estar vivo, em um quarto ela contra seu ex-namorado Aidan acorrentado em cima da cama e mais adiante um garoto jogado aos pés da cama também acorrentado.

     Esse garoto se chama Graviel (), e ele é um vampiro e de forma muito suspeita, está disposto a ajudar a garota e Aidan a deixarem aquele lugar.

     Há um problema muito grande acontecendo, Aidan fora infectado e precisa ser levado o mais rápido possível para a Coldtown mais próxima para que assim não apresente risco para todos a sua volta. No meio do caminho Tana, Aidan e Graviel (isso mesmo ele precisa ir para a Coldtown por algum motivo até o momento suspeito), encontram dois jovens blogueiros: Midnight e Winter. Os dois tem o desejo de se tornarem imortais e a única forma que encontraram para realizar o tal feito é rumarem para uma Coldtown e torcerem para serem escolhidos por vampiros para serem transformados.

      Esse grupo chega a Coldtown e logo percebe que é preciso ter sague frio para viver naquele lugar como se nada tivesse acontecendo, como que as pessoas não estivessem desperdiçando suas vidas em um desejo tolo, como se vampiros fossem seres bons. Eles, ou pelo menos Tana (porque Midnight e Winter apenas querem viver eternamente em um lugar luxuoso e mágico), compreendem que aquele lugar e a morada de amaldiçoados, e ela não queria pertencer àquele lugar – mesmo tendo em mente que podia estar Resfriada também).

“Todas as noites, em todas as Coldtowns, pessoas morrem. Pessoas são frágeis. Elas morrem devido a erros, overdoses, doença. No entanto, a maior parte delas morre... de Morte. A Morte bebe a calidez das pessoas até que suas veias estejam secas. A Morte se esquece do controle.”


Esse marcador <3

Narrativa
     Nunca tinha lido nada da autora antes, mas depois dessa leitura com certeza vou procurar mais livros dela.

     Holly tem uma forma extremamente cativante de escrita, ela tem o poder de transformar um tema tão batido, tão comum em algo estranhamente novo e muito bom. Conforme você avança na leitura é impossível não comparar alguns aspectos dos personagens de A Menina Mais Fria de Coldtown com um dos eternos vampiros criados pela rainha Anne Rice: Lestat de Lioncurt.

“Mas não estava acostumado a se encontrar em um opulento hotel com um homem loiro à sua frente, um largo e maroto sorriso no rosto. Lembrava-se vagamente de um piano tocando e de uma picada na garganta (...)”

    Vai dizer que não lembra muito Lestat de Lioncurt? Seu gosto refinado, e a superioridade esculpida na face, além de que essa cena – e outras também – passam-se em Paris.

     Em relação a Tana tenho que elogiar a forma com que ela cresceu psicologicamente durante todo a estória, amo quando os autores no geral conseguem esse feito, é sensacional!


Conclusão
Sexy e Sombrio

     Realmente recomendo a leitura para todos as idades – mesmo sabendo que ele irá agradar muito mais jovens do que adultos –. Queria parabenizar Michael O. e Sasha Illingworth pela arte e pelo desing da capa respetivamente, ela é maravilinda! Entrou para o rank de capas mais belas da estante!

     Outro coisa que me deixou encantada foram as frases que intitulam todos os começos de capítulos, separei três das quais eu mais gostei:


Quando a vida é uma tragédia,E a esperança é uma tolice,O Mundo diz: “Vá!”,E o Túmulo diz: “Venha!”.  - Arthur Guiterman

Enquanto eu achava que estava aprendendoa viver, eu vinha aprendendo a morrer. – Leonardo da Vinci

Aos vivos nós devemos respeito,Mas, aos mortos, devemos somente a verdade. – Voltaire

     Achei alguns erros de digitação e concordância, mas nada que prejudique a compreensão do livro. Se você gosta de vampiros perversos e sanguinários e extremamente sexy, A Menina Mais Fria de Coldtown e uma boa pedida!

     E o final? Ai o final é tão digno que eu fiquei com gostinho de quero mais e mais e mais!



         Me contém o que acharam da resenha gente, vão ler?! A opinião de vocês é muito, muito importante!



11 comentários:

  1. Gostei da resenha e fiquei com vontade de ler a estória, gosto de livros com vampiros e saber que mesmo sendo uma estória sobre essas criaturas noturnas, mas não é aquela mesmice, me animou mais ainda!

    ResponderExcluir
  2. Olá Carolina, tudo bem?

    Você me fez ficar louco por esse livro. Assim como você, a momentos atrás, eu não dava a mínima pra esse livro, mas agora que li sua resenha eu estou louco por ele. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oie...
    Ainda não li o livro, mas estou morrendo de vontade de ler!! Sua resenha aumentou ainda mais essa vontade!!
    Sou apaixonada por vampiros e esse livro não pode faltar na minha estante!! O enredo parece ser cheio de ação e muito cativante, sem contar a capa que realmente é maravilhosa!!

    ResponderExcluir
  4. Adorei a capa, mas não gostei da história, odeio vampiros! Massss bela resenha!
    http://www.maquinade-escrever.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Carolina,
    confesso que nunca senti vontade de ler esse livro...
    e agora vou ter que brigar com vc, kkkkkkkkkkkk, mais um para a minha lista, não acredito, kkkkk
    sua resenha retratou o livro de uma forma que agora eu tenho que ler esse livro...
    mt obrigada pela dica

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha Carol, ficou muito completa, da pra ter a noção exata de o que o livro trata. Eu confesso que tambem fico meio com o pé atrás com histórias de vampiros, até um tempo atrás tava uma febre disso e me irritou profundamente mas, apesar disso, eu tenho vontade de ler esse livro porque ele parece ser muito diferente de todos os outros. Tenho vontade de descobrir mais sobre essas Coldtowns.

    ResponderExcluir
  7. Oi, essa é a primeira resenha que vejo do livro e amei hahaha, eu já tinha visto ele, mas eu não daria nenhuma balinha pelo livro, mas agora com a sua resenha mudei completamente de ideia, e gente tem vampiro, eu nunca imaginei que tivesse esse ser no livro, e que coisa hein, como assim você não curte vampiros? ahahahaha eu amo livros com esses seres sombrios.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  8. Oiii...
    hahaha é que livro...ó ainda bem que o livro não te decepcionou ta vendo só ksksk ainda não li mas sua resenha me deu mais vontade de poder ler sobre ele...também nunca li nenhuma obra da autora mas parece que vale bastante a pena... hahaha eu já adoro histórias envolvendo vampiros .espero que eu goste dele tanto quanto voce.

    ResponderExcluir
  9. Nunca li nada da autora... nem resenhas. Com esse titulo achava que era um livro sobre zumbis, sei la hahahahahaha mas nunca acharia que a história fosse sobre vampiros. Amo esse tema e curti muito a resenha.... considere-se lido, Menina Mais Fria de Coldtown ;)

    ResponderExcluir
  10. Gostei muuuuuito da resenha! Assim como você, já tinha ouvido falar desse livro, mas tava fugindo com todas as minhas forças dele... De cara achei que fosse o tipo de livro que não suporto ler, mas depois dessa resenha fiquei morrendo de vontade de poder lê-lo! Já fiquei intrigada com qual é esse tal segredo do Graviel \o/ Entrou na minha lista!

    ResponderExcluir

  11. Oiii
    Amei a resenha, extremamente completa! Então, eu também estou um pouco cansada dos clichês vampirescos, mas desde o seu lançamento, quis ler A menina mais fria de Coldtown! Essa capa me ganhou na hora, ela é linda demais, e os elogios a obra eram intermináveis, então, quis arriscar. Ele está na minha lista de desejados e o lerei assim que eu puder. Amo vampiros sexys (se lembra os vampiros de Anne Rice, é obrigatório ler esse livro! Kkk). E a diagramação interna está demais, nem comento sobre as frases! *----*
    Beijos

    ResponderExcluir

Dê sua opinião e ajude o Baú!

Baú de Histórias Designed by Templateism.com Copyright © 2014

Layout feito pelo blog lamoonier.blogspot.com.br e ilustração porhttp://www.kaccaucarvalho.com/ . Tecnologia do Blogger.