Últimas Notícias:

[Resenha] - Incendeia-me, Tahereh Mafi; Trilogia Estilhaça-me #3

Saudações õ//

      Era a leitura que ao mesmo tempo eu estava ansiosa para ler e receosa com o que pudesse acontecer. Trago a resenha de Incendeia-me terceiro e último livro da Trilogia Estilhaça-me cedido para resenha pelo Grupo Editorial Novo Conceito. Já aviso de antemão que terá spoilers! Caso não tenha lido Estilhaça-me, Liberta-me ou os dois contos intermediários recomendo que pule este post e confira as outras coisas bacanas que o blog pode te oferece ok?. Para os que leram ou não se importam com spoilers, bora lá?

Titulo: Incendeia-me
Gênero: Ficção norte-americana/Distopia
Autor: Tahereh Mafi
Formato: Físico 
Editora: Novo Conceito
Páginas: 384
Ano: 2014
Nota: 5/5 
"O destino do Ponto Ômega é desconhecido. Todas as pessoas com quem Juliette se importa podem estar mortas. Talvez a guerra tenha chegado ao fim antes mesmo de ter começado. Juliette foi a única que restou no caminho d'O Restabelecimento. E sabe que, se ela sobreviver, O Restabelecimento não sobreviverá. Entretanto, para destruir O Restabelecimento e o homem que quase a matou, Juliette vai precisar da ajuda de alguém em quem nunca pensou que pudesse confiar: Warner. Enquanto eles lutam juntos para combater o inimigo, Juliette descobre que tudo que ela pensava saber sobre seu poder, sobre Warner e até mesmo Adam era uma mentira." 

      Comecei a ler este livro em janeiro pois eu tinha a intenção de termina-lo mas essa decisão foi totalmente frustada quando eu cheguei exatamente a metade do livro. Pelo que eu ia percebendo, Mafi não daria o fim que eu esperava para a série e isso me deixou numa bad imensa. Resolvi dar um tempo e adiantar outras leituras até que eu "recuperasse" e pudesse voltar a leitura.

      Tudo está copletamente confuso, Juliette levou um tiro, Warner (♥ maravilindo ) a salvou. Só com essas informações já dá para perceber o nível da situação. O Ponto Ômega foi bombardeado e destruído pelo exército do Supremo - o pai do Warner - e todos os integrantes da resistência estão mortos, pelo menos é o que Juliette e Warner acreditam.

      Desde o primeiro livro acompanhei a protagonista em seus altos e baixos no que diz respeito ao amadurecimento e outras coisa. Em Incendeia-me não foi diferente, vemos uma Juliette forte, decidida e mesmo que todas as provas levam à morte dos amigos ela não desiste e consegue encontrar-se com Kenji ( um dos personagens mais engraçados da vida, perdendo apenas para Don Tillman de o Projeto Rosie #) um dos poucos que sobreviveram ao bombardeio. 

      Até todos se encontrarem e resolverem o que deveriam fazer para reverter toda a situação, Juliette é hospedada na moradia de Warner do Setor 45. A cada dia que se passa ela se vê descobrindo facetas daquele que até então era o vilão, forçando-se a aceitar que aquele homem loiro disciplinado era no fundo incompreendido, angustiado e capaz de amar. É de conhecimento que eu sempre shippo os dois. Eu gosto de vilões e sempre acho que as mocinhas devem ficar com eles mas mesmo Warner  ter mudado da água para o vinho continuei torcendo pelo amor confuso dos dois.
"Quero que você me incedeie, meu amor"
      Foi sensacional como Tahereh conseguiu expor fatos - e revelações bombásticas - de forma tão "maestrosa" como ninguém podia senão ela fazer. Esqueça tudo o que você sabia sobre o caráter dos personagens nos livros anteriores, aqui tudo muda, vemos quem eles realmente são sem precisar enconder-se em márcaras invísiveis.

      Com a equipe reunida o objetivo era muito simples mas muito perigoso, a missão seria aniquilar o Restabelecimento e livrar todas as pessoas deste tormento. Acontece que para isso era preciso matar o Supremo, aquele que atirou em Juliette, aquele que causou sofrimento de todas as formar possíveis em Warner, aquele que causou sentimentos nada bons até mesmo em Adam. Aquele que sequestrou e torturou amigos para "um bem maior". Isso precisava acabar, ele precisava morrer.
"Não tenho mais medo do medo, e não vou deixá-lo mandar em mim. O medo vai aprender a me termer"
      Já disse que este livro é incrível? Tudo me deixou conectada, os personagens o cenário, Warner sendo o personagem mais confuso da minha vida, mesmo escrevendo dezenas de contos ou até mesmo um livro somente sobre ele, eu não seria capaz de entender sua cabeça, seus sentimentos. Eu amo ele meus caros leitores 

      Se por acaso vocês pergutarem sobre o Adam, sim ele está vivo e não eu não gosto dele, detesto na verdade.  Ele é tão tosco tão cheio de si que não consigo acreditar que um dia gostei dele. Amei ler vários desprezos dos outros para com ele.
"(..) - Você nunca se cansa de ser tão completamente insuportável? Você tem tanto carisma quanto as entranhas apodrecidas de animais não identificados mortos na estrada."
   
      Kenji sem dúvidas pe o personagem mais sivertido e cativante da trilogia. É natural que como comentei inumeras vezes, o personagem evolua no decorrer de uma série tanto que no primeiro ele era o "estúpido sarcástico", no segundo ele era o piadista, neste Kenji é fascinante! Nos momentos de maior tensão lá está ele descontraindo o ambiente (com a ajuda do James que tem o poder de tranquilizar o local ao seu redor) e tornando a leitura muito mais divertida. Suas conversas com a Juliette e seus conselhos foram de muita ajuda.

      Incendeia-me é eletrizante do começo ao fim. Até aqueles momentos em que você acha que a coisa será devagar você é enganado. Tudo é muito agitado e hipotizante. Tia Mafi eu lhe amo tá, sério! Eu poderia escrever páginas e mais páginas sobre meu amor por este livro - e pelo Warner  - mas isso é uma resenha e não um trabalho acadêmico sobre o enredo.
      Pensando bem consigo tem uma visão bem bacana sobre a série por completo: Estilhaça-me foi OK, Liberta-me foi Ahhh! e Incendeia-me foi S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L.

Abraços,
Carolina Piovesan

2 comentários:

  1. SPOILER*******SPOILER*******SPOILER*******SPOILER******SPOILER******SPOILER*******SPOILER*****SPOILER

    Também li a triologia, mas ao contrário de você eu gostei do Adam (rsrsrsrsrs) e fiquei com muita raiva da Juliette, achei que ela foi muito falsa em relação ao relacionamento entre eles, mesmo assim não tive como não me apaixonar pelo Warner, e torci para que ele e ela terminassem juntos. Não me conformei com o que a autora fez com o Adam, primeiro colocou ele lá em cima e de repente de uma tacada só derrubou o cara, tentei me colocar no lugar dele e entendi sua raiva, mesmo achando que ele foi grosso, já a Juliette dava sempre uma de coitada. Apesar disso gostei dos livros!
    :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar de odiar o Adam, tenho que concordar com você Wanessa. Ficou muito estranho a forma com que a autora "mostrou quem ele realmente é", ficou tudo um tanto que forçado. Mesmo assim o livro foi perfeito, Warner é perfeito <3 Muito amor <3 Tietagem eterna rsrs


      Abraços ;)

      Excluir

Dê sua opinião e ajude o Baú!

Baú de Histórias Designed by Templateism.com Copyright © 2014

Layout feito pelo blog lamoonier.blogspot.com.br e ilustração porhttp://www.kaccaucarvalho.com/ . Tecnologia do Blogger.