Olá! Meu nome é Carolina Piovesan mas podem me chamar de Carol. Sou estudante de Biomedicina, amante de literatura e dona de uma loja online no Twitter (@ineedushop) de produtos fanmade kpop.

26/03/2014

[Dose Cultural] - Entrevista com a autora de "As Bruxas de Oxford" Larissa Siriani

Olá, leitores!

Hoje trago uma entrevista com a autora de "As Bruxas de Oxford" Larissa Siriani.



Baú: Começamos pelo básico, fale sobre você:
Tenho 21 (quase 22) anos, e nasci e cresci em São Paulo, capital.

Baú: E o amor pela leitura, começou quando? Com qual livro?
Não foi com um livro, exatamente. Eu comecei lendo gibis – era apaixonada pela Turma da Mônica. A progressão daí pros livros foi natural.

Baú: E seus pais, a apoiaram quando você resolveu ser escritora?
Eu sempre gostei de escrever, e é um sonho que eu cultivo desde muito nova. Meus pais tiveram a reação que eu julgo mais natural: incentivam, mas procuram sempre manter meus pés no chão. Eles tentam constantemente me lembrar que preciso pensar no futuro, e não apenas no agora. É a melhor forma de apoio possível.

Baú: De onde surgiu a inspiração para o livro “As Bruxas de Oxford”?
Desde que eu li Harry Potter, com uns 11, 12 anos de idade, tinha vontade de escrever sobre bruxas, mas a ideia nunca vinha. Um dia, pensei numa garota que escutava vozes de sua antepassada bruxa na sua cabeça, e resolvi ir a fundo nessa ideia. Foi daí que cresceu a fagulha que se tornou o Bruxas.

Baú: Em seus livros, algum personagem tem um "que" de autobiográfico?
A maioria tem muito da minha personalidade, mas a Dora, de Toda Garota Quer, é sem dúvida a mais parecida comigo. Eu escrevi esse livro quando estava transitando entre o colegial e a faculdade, e queria falar sobre a injustiça que é ter que decidir sua vida toda aos 17 anos. Acabei depositando todas as minhas esperanças e frustrações numa personagem, e ela se tornou parecida – até demais – comigo.

Baú: Gosta de clássicos? Qual?
Não sou muito fã, mas tenho minhas quedinhas. Dos nacionais, Senhora é meu preferido – adoro a protagonista, e as voltas que a história dela dá. Sou também apaixonada pelas obras de Jane Austen. Como não amar Orgulho e Preconceito?

Baú: É verdade que estudou cinema? Conta pra gente!
Sim, me formei agora, no final de 2013! Foi uma decisão tomada meio da noite pro dia, e apesar de eu não me ver trabalhando de fato no mercado cinematográfico, eu gostei bastante de ter optado por esse campo. Aprendi muita coisa que acabou também colaborando pra mim como escritora. É uma área muito ampla, e apesar de poder ser bastante estressante, é muito divertido fazer cinema.

Baú: Quais são seus autores e seus respectivos livros favoritos?
Tenho vários. No topo da lista, Markus Zusak, e meus dois livros preferidos dele, que são A Menina que Roubava Livros e Eu sou o Mensageiro. Também amo todos os livros da Meg Cabot – em especial a série A Mediadora – e sou super fã da brasileira Paula Pimenta. É difícil eleger um único autor ou um único livro pra mim. Muitos são importantes!

Baú: E as críticas, como você lida com elas?
Tento sempre analisar tudo que me dizem, pesar se é algo a ser considerado ou algo que posso ignorar. Existem críticas que são muito mais baseadas numa preferência pessoal do que num defeito de texto, e essas são as que eu, em geral, considero, mas não me apego. Quando são críticas que apontam algo que eu posso fazer melhor, tento sempre levar isso comigo pra projetos futuros – como posso melhorar, onde exatamente está o erro, existe alguma forma de não repeti-lo? Tudo é construtivo se a gente souber levar.

Baú: Para finalizar o que você tem a dizer sobre a falta de interesse dos jovens pela literatura brasileira?
Acho que está mudando! Ainda tem muita gente que subestima, assim como subestima qualquer produto cultural produzido no Brasil, mas todos os dias eu vejo mais gente ignorando a bandeira e abraçando as histórias, de onde quer que elas venham. Isso vem tanto de uma mudança de pensamento como da maior atenção que alguns autores nacionais vem recebendo. Os leitores percebem, e gostam disso.

Baú: Larissa pode nos dizer as formas para entrar em contado com você?

Eu estou disponível na internet de várias formas, seja em contato direto pelo meu e-mail (larissa@larissasiriani.com.br), ou através do meu twitter (@LarissaSiriani), tenho também um blog (http://larissasiriani.blogspot.com) e um canal no Youtube (http://youtube.com/larissasiriani), e na dúvida, tem sempre o Facebook (https://www.facebook.com/pages/Larissa-Siriani/433065906741540)! Beijocas!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê sua opinião e ajude o Baú!

Total de visualizações de página

Leitores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *