Olá! Meu nome é Carolina Piovesan mas podem me chamar de Carol. Sou estudante de Biomedicina, amante de literatura e dona de uma loja online no Twitter (@ineedushop) de produtos fanmade kpop.

11/11/2014

[Resenha] - Crônicas dos Senhores de Castelo, O Poder Verdadeiro


Saudações!

     Para provar que não desisti do Baú de Histórias trago para vocês hoje uma resenha. E desta vez é uma resenha nacional. Bora conhecer o livro “Crônicas dos Senhores de Castelo: O Poder Verdadeiro” doa autores G. Brasman & G. Norris.


Gênero: Ficção Brasileira
Editora: Verus       
Autora: G. Brasman & G. Norris

Páginas: 236
Classificação: 
4.5/5

“Há milhões de anos, os Espectros, seres mágicos malignos, ameaçavam aniquilar o Multiverso. Para impedir uma catástrofe, a sábia Noppon convocou os líderes de todos os planetas para combatê-los e garantir a paz. Formava-se assim o grupo Senhores dos Castelos. No primeiro volume da saga Crônicas dos Senhores de Castelo, a princesa guerreira Laryssa sairá em uma jornada de luta e coragem em busca de um artefato mágico. Com uma mitologia própria, o livro mistura magia e tecnologia, com referências aos grandes mestres da ficção. Um prato cheio para os fãs da literatura fantástica.” Skoob.

     Já tinha visto sobre este livro lá no blog da Anna Shermack – Pausa para Um Café –. Minha colega de sala do colégio a Rúbia tem o livro e nunca leu. Vamos unir o útil ao agradável o que resultou em uma leitura muito bacana. Continuem a ler para adentrar a este universo, ou melhor Multiverso, maravilhoso!


     Sabe o que mais me cativou na leitura? A capacidade dos autores de misturarem vários conflitos (missões) e prol de outra missão maior. Normalmente quando alguns autores se juntam para escrever sobre algo, o estilo de escrita de cada mistura-se e fica algo confuso para o leitor. Neste livro temos exatamente o oposto.

     O Poder Verdadeiro faz parte da quadrilogia Crônicas dos Senhores de Castelo porém neste primeiro volume a estória tem começo meio e fim, então se você é daqueles que morre de preguiça para ler uma sequência enorme de livros, você pode tranquilamente ler apenas esse – coisa que eu acho difícil de cumprir pois o enredo é totalmente viciante deixando o leitor com uma necessidade gigantesca da sequência –.

Princesa Laryssa
     A trama maior deste livro é a busca pela ativação do Globo Negro, artefato portador de uma poder mágico inimaginável que supostamente seria capaz de estabelecer a paz ou o caos ao Multiverso (universo onde se passa a estória). Existem obstáculos que os personagens precisam ultrapassar para chegar ao objetivo final. Obstáculos estes que são muito bem desenvolvidos desde o início do livro.


     Mas o que é o enredo sem os devidos personagens? Em O Poder Verdadeiro somos apresentados a “poucos” personagens principais e cada um deles tem uma personalidade bem definida. Kullat (Senhor de Castelo de Oririn e que estampa a capa deste livro) é o meu favorito, no início ele chega todo misterioso mas com o passar do enredo ele vai mostrando quem realmente é provando seu valor para todos, principalmente para Laryssa. Essa é a outra personagem principal e que de certa forma segue e não os estereótipos da mocinhas nos livro.

     Sabe aquela mulher que sabe ser meiga e durona nas horas certas? Bom, está é a princesa Laryssa. Ela é quem realmente está procurando por respostas sobre o Globo Negro e graças aos deuses ela consegue meio que sem querer a ajuda de Kullat
Thagir, Senhor de Castelo de Newho
e de seu amigo Thagir (Senhor de Castelo de Newho e pistoleiro), que por algum motivo estavam atrás da princesa a mandado do rei.

     Mas não pense que os dois são inúteis não! Kullat tem o poder de manipular energia ao seu redor, o que consequentemente ajuda e muito nas aventuras deste grupo. Thagir é um pistoleiro ou seja ele é muito bom no que faz com armas de fogo, além de conseguir invocar objetos com seus “braceletes mágicos”. Ambos tem poderes que ajudaram muito nas aventuras deste quarteto.

     Quarteto? Sim você leu certo. Ainda temos Azio (remanescente do planeta Binal) o
Kullat, Senhor de Castelo de Oririn
autômato! Gente ele é um dos personagens mais sensacionais que já li. Você fica em dúvida do propósito dele na estória tornando-o muito enigmático.

     Durante toda a leitura eu fiquei supondo finais cabulosos, mas nada compara-se as revelações que os G² nos dá. Caramba! Fiquei super revoltada com alguns. Isso com certeza corroborou muito para que a leitura torna-se maravilinda!






Conclusão
     Você me pergunta: Então quer dizer que o livro foi tão bom que não houve falhas?

     Eu lhe respondo: Não. Houveram algumas falhas mas mínimas. No início a leitura é um pouco lenta (apesar de começar com uma briga de bar) mas nada que prejudique a leitura.

     Se você gosta de enredos agitadas sem pausas, recomendo a leitura!


2 comentários:

  1. Oi Carolina,

    Amei a resenha e você conseguiu me deixar com muita vontade de ler o livro, saber que mesmo sendo uma série o primeiro livro tem um final só aumentou meu interesse, pois não gosto de esperar continuações literárias.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que consegui despertar essa vontade em você Wanessa ;)

      Amo livros que tenham começo meio e fim, principalmente se fizerem parte da série hahaha
      Obrigada por ainda acompanhar o blog <3

      Beijos!

      Excluir

Dê sua opinião e ajude o Baú!

Total de visualizações de página

Leitores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *